sexta-feira, 19 de abril de 2019

Identificando a versão de um projeto WorkVisual

Normalmente, se tratando de softwares, o consenso geral é de que, quanto mais novo, melhor.

Entretanto, no mundo da automação industrial, as coisas não são bem assim.

A estabilidade dos equipamentos industriais é fundamental para a cadeia produtiva. Uma "novidade" usada na hora e lugar errados pode parar uma linha de produção e fazer com que haja perdas de milhares ou até milhões de reais.

Embora o raciocínio se aplique a diversos softwares e contextos, agora vou falar especificamente do KUKA WorkVisual.

As versões mais atuais do WoV* podem manipular projetos criados em versões mais antigas.

Entretanto, sempre que se usa uma versão mais nova** para abrir um projeto criado em uma versão mais antiga, o mesmo é convertido***.

E é aí que podem se iniciar os problemas****.

Já é senso comum que a melhor versão para se editar o projeto WoV de um robô é aquela com a qual o projeto foi criado.

Em algumas situações - principalmente onde há robôs com customizações - o cliente final pode exigir que sejam utilizadas versões específicas do WoV. Isso é muito comum em montadoras, por exemplo.

Antigamente o WoV era entregue em um CD, que vinha junto com o a documentação do controlador.  Em versões mais novas, a instalação costuma vir no Drive D: do robô, assim como os KOPs (KUKA Option Package).

Verificar a versão que veio junto com o robô já é um bom começo, mas nada garante que o projeto que está funcionando tenha sido compilado com aquela versão.

Seguem abaixo dois métodos simples para verificar em qual versão um projeto WorkVisual foi compilado pela última vez.

 WorkVisual 4.0.x e superiores

A partir da versão 4.0.x, as coisas ficaram um pouco mais cômodas.

A WoV tem uma ferramentinha com interface gráfica (não muito evidente), que traz diversas informações sobre um projeto, sem que seja necessário abrir o mesmo no WoV.

Para isso, siga os passos.

Selecione um arquivo associado ao WorkVisual (normalmente um arquivo .wvs ou .asz) e clique com o botão direito.

Note que no menu de contexto existe a opção Information. Clique na mesma.


Será aberta uma janela, contendo diversas informações sobre o projeto. O que nos interessa, no caso, é o campo Modifications tools, que indica qual foi a versão utilizada para compilar o projeto.


WorkVisual 3.1.x e inferiores

Nas versões mais antigas, não existe a ferramenta gráfica, mas é simples obter a mesma informação.

Cada vez que um projeto é compilado, alguns arquivos que são gerados automaticamente pelo WorkVisual tem seus cabeçalhos alterados, e uma das informações é justamente a versão do WoV usada para compilar (e não salvar) aquele projeto pela última vez.

Eu sempre costumo verificar essa informação no arquivo KRC_IO.xml, que vai estar presente em todo controlador KRC4, mas ela aparece em outros arquivos gerados automaticamente.

Esses arquivos normalmente estão na pasta:

...\C\KRC\Roboter\Config\User\Common

Eles podem ser abertos pelo próprio WorkVisual


Mesmo que não haja o WorkVisual disponível no computador, é possível abrir o arquivo KRC_IO.xml (ou qualquer um dos outros arquivos gerados automaticamente) em um editor de textos. Nos screenshots abaixo usei o Gedit e o XMLNotepad, respectivamente. Mas até o Bloco de Notas do Windows vai fazer o serviço.





Notem que esse método também serve para projetos criados em versões mais atuais.
Espero que essas dicas sejam úteis.

---

* No momento da publicação deste texto, é possível baixar as versões 4.0.31 e 5.0.9 no site da KUKA.

** A versão do WorkVisual é sempre composta por três números. A conversão ocorre quando há uma mudança do primeiro ou do segundo número, por exemplo, 3.0.7 para 4.0.31. Mas se a diferença de versão é apenas no terceiro número (que costuma indicar bugfixes), normalmente não há problema. O WoV 3.0.7 pode abrir e editar projetos criados no 3.0.10, e o 4.0.21 pode abrir e editar projetos criados no 4.0.31. De qualquer maneira, é bom levar em consideração as regras citadas lá em cima. Verifique em qual versão aquele projeto foi criado, e na dúvida, consulte o cliente. Isso pode lhe poupar diversas dores de cabeça.

*** Quando uma versão mais nova do WoV converte um projeto criado em uma versão mais antiga, é criada uma cópia da versão original. Normalmente essa cópia recebe o sufixo "_bak".

**** E nem vamos falar de versões de KOP instaladas no WoV que são diferentes das instaladas no robô.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

UR Academy



Finalmente consegui duas horinhas livres, e fiz o treinamento online da UR Academy.

Embora o treinamento (CB3) seja voltado para iniciantes, cachorros velhos que nem eu também podem aprender alguns truques.

Por enquanto, o curso só está disponível em inglês, mas o nível de interatividade é tão bom que aconselho até mesmo para quem tem dificuldades com o idioma.

Existe um outro curso, mais avançado, chamado E-SERIES, referente à nova geração de produtos da UR.

É o próximo da minha lista.

Os cursos podem ser feitos gratuitamente (mas mediante cadastro) em

https://www.universal-robots.com/academy/

Parabéns ao pessoal da Univeral Robots por ter criado e disponibilizado esse material.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Industrial Robots & Cobots - mais um livro sobre programação de robôs industriais


Acabo de esbarrar em mais um livro sobre programação de robôs industriais.

Ainda não li, mas pelo preview, parece ser bem legal.

Industrial Robots and Cobots foi escrito por Michał Gurgul, que também é autor dessa interessantíssima apresentação sobre comissionamento virtual com Process Simulate.

Mais detalhes sobre o livro podem ser encontrados em https://roboticsbook.com/

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Livro sobre programação de robôs industriais

Estou prospectando o interesse público em um livro sobre programação de robôs industriais.

Se tiverem um tempo, poderiam por favor responder as questões no formulário abaixo? É rapidinho.

https://goo.gl/forms/PgkQpXSZOARJ8ZCV2

E se souberem de mais alguém que possa ter interesse no assunto, compartilhem o link, por favor.

Agradeço desde já.

terça-feira, 30 de outubro de 2018

Robot Whispering - livro sobre programação de robôs FANUC

Jay Strybis, fundador da ONE Ronotics e autor do excelente blog da empresa, acaba de anunciar o lançamento de seu livro Robot Whispering, The Unofficial Guide To Programming FANUC Robots.




Como o próprio Jay menciona em seu site, existem basicamente três maneiras de se aprender a programar um robô FANUC (ou qualquer outro equipamento):

1. Fazer um treinamento na FANUC (caro e demorado)
2. Ler os manuais (tedioso e demorado)
3. Tentativa e erro (exige muita sorte)

O livro é uma tentativa de encurtar e facilitar esse(s) caminho(s). O autor trabalhou alguns anos na FANUC, e tem bastante expertise na área. Detalhe: o conteúdo é mais voltado para aplicações de manipulação e sistemas de visão.

O livro está em inglês, e para os padrões brasileiros, pode ser considerado bem caro. Mas se tiver metade da qualidade dos posts publicados no blog, recomendo fortemente.

Mais detalhes sobre o livro aqui:

https://www.onerobotics.com/robot-whispering/

Gostaria de ver mais iniciativas como essa. Inclusive em português.

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Manuais ABB Robotics 2018 - Download

Descobri hoje que a ABB - assim como a Motoman, a Universal Robots e mais algumas empresas - também resolveu liberar seus manuais online.

Seguem abaixo os links

Manuais IRC5, rev K, RW 6.07 R18.1, os mais atuais, no momento da publicação deste post.

https://robotstudio.azureedge.net/documentation/18.1/start.html

Manuais do IRC5P (robô de pintura)

https://robotstudio.azureedge.net/documentation/18.1/Paint/index.html

Manuais do IRC5, rev H, RW 6.05 R17.1

https://robotstudio.azureedge.net/documentation/17.1/start.html